terça-feira, 19 de agosto de 2014

Miniconto. O que é e um exemplo.

 
A Teoria da Literatura ainda não reconhece o miniconto como um gênero literário, mas a verdade é que a cada dia os contos se tornam mais curtos e as características dos textos identificados como mini são diferentes daquelas que distinguem contos pequenos.
Uma das principais características desse tipo de texto talvez seja a ênfase na sugestão, uma vez que sua concisão não permite descrições. Cabe ao leitor, portanto, a tarefa de percorrer os vazios do texto e preencher o não-dito, entendendo a história maior que se esconde na história lida. Outra característica, ligada à concisão, talvez seja o final surpreendente. Desenvolvido em poucas linhas, o miniconto acaba de supetão, causando certo espanto no leitor e convocando sua interpretação.
Algumas tentativas de definir o miniconto procuram estabelecer limites de linhas e até de caracteres, numa tentativa de permitir o envio da produção através de mensagens de celular, o que evidencia a ligação dos modernos textos curtos com as novas tecnologias.
Ainda não cheguei a tecer nenhum conto tão curto que possa divulgar por SMS, mas “Vodu” é um texto tão ligeiro e surpreendente que se enquadra, a meu ver, na categoria:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Você leu o conto “Branca de Neve” que publiquei aqui?


 

Beijo&Carinho,

 

Jussara