segunda-feira, 23 de março de 2015

Em dois lugares ao mesmo tempo



Outro dia escrevi a uma amiga pedindo que desse por mim um grande beijo, com o olhar, na cidade de Lisboa, que eu amo. Ela está a viver temporariamente em Portugal a fim de desenvolver uma pesquisa. “Estou no Porto”, respondeu-me ela, “pois aqui vive o escritor que atualmente investigo, mas como também amo Lisboa em breve a olharei com olhos de quem beija, pode deixar”. Meu coração ficou de certo modo apaziguado, como se por um instante me fosse afiançada a oportunidade de mais uma vez olhar Lisboa.  
Vez por outra consigo instantes em lugares distantes do mundo para onde viajam amigos. Se alguém pensa em mim ao olhar os campos de lavanda na Provença, por exemplo, de certo modo para ali sou levada sem passaporte ou passagens por casas de câmbio.
Foi assim que me senti momentaneamente em Rio das Ostras, cidade litorânea do Rio de Janeiro, da chamada Região dos Lagos.  Já nessa região estive alguma vez, mas em Rio das Ostras, nunca. Nunca antes de Lúcia Senna me levar pra lá em forma de livro:


Lúcia Senna é cantora, gosta de arte, livros e objetos artesanais garimpados em viagens e me foi apresentada por um vídeo do Fernando Peixoto, sobre quem falei no post anterior. Desde então trocamos nossas artes pelos Correios: livro pra lá, CD pra cá... e descobri que, além do que o vídeo já me revelara, ela escreve bem, o que sempre me agrada nas pessoas:



Agradou-me muito saber do sucesso do Minas de mim entre a "mulherada", pois uma de suas características é mesmo sua clara mundividência feminina, o que talvez tenha sido responsável por ser ele citado no Dicionário crítico de escritoras brasileiras, de Nelly Novaes Coelho, sobre o qual falei aqui.


  
Sobre o livro Minas de mim, leia aqui, aqui e aqui.
Para conhecer Lúcia Senna, assista ao vídeo “Chez Lúcia Senna”, de Fernando Peixoto, aqui.

Muito bom conhecer pessoas bacanas como a Lúcia e como você que está sempre aqui, lê, comenta e me enche de carinho.

Com amizade o abraço da


Jussara