segunda-feira, 21 de julho de 2014

Um pouco sobre Frida Kahlo




Frida Kahlo nasceu em 1907, no México. Revolucionária, gostava de tudo que era autenticamente mexicano, ao contrário da elite de sua época: mercados de rua, comida apimentada, joias e roupas coloridas.
 
 
Em suas telas usou cores fortes para retratar uma vida cheia de percalços: a paralisia infantil, contraída aos seis anos, que lhe deixou um pé atrofiado e uma perna mais fina que a outra; o trágico acidente ocorrido quando tinha dezoito anos e que a deixou presa à cama por um longo tempo a recuperar-se das incontáveis cirurgias pelas quais passou depois de ter o abdome, a coluna vertebral e a pélvis atravessados por um ferro no choque entre um bonde e um trem; os inúmeros abortos espontâneos e a impossibilidade de ser mãe em virtude de seu útero ter ficado comprometido após o acidente; o colete de ferro, de uso obrigatório, que lhe dificultava a respiração; a paixão pelo marido, Diego Rivera, 21 anos mais velho, o pintor mexicano mais importante do século XX, mulherengo incorrigível, a tortura de amargar suas amantes e as emoções e angústias geradas pelos seus próprios casos amorosos.

 
 
 

A maior parte de suas telas é composta de autorretratos – sua maneira de gerenciar dor, solidão e o conhecimento de si: “Eu pinto autorretratos porque estou muitas vezes sozinha e porque eu sou a pessoa que eu conheço melhor”.
 
 
Sua coluna foi operada diversas vezes e fortes dores na perna atrofiada levaram os médicos ao diagnóstico de amputação. Frida entra em depressão, mas participa, em 02 de Julho de 1954, em cadeira de rodas, de uma manifestação contra a intervenção norte-americana na Guatemala. Onze dias depois foi encontrada morta em seu leito, aos 47 anos, vítima de uma embolia pulmonar, segundo a versão oficial, muito embora o registro em seu diário faça supor o suicídio: “Espero alegre a minha partida – e espero não retornar nunca mais”.
 



Apesar disso, suas risadas, flores nos cabelos e roupas exóticas – que tanto chocaram os lugares pelos quais passou – e o colorido de sua obra indicam que Frida Kahlo viveu como lhe ensinou Diego Rivera: “Pega da vida tudo o que ela te der, seja o que for, sempre que te interesse e possa dar certo”.
 
 
Para saber mais, clique aqui.
Imagens daqui.
Site oficial da artista aqui.

 
Sempre me impressionou muito a frase da artista: “Para que preciso de pés quando tenho asas para voar?”. Por isso não resisti a essa bolsa e carteira que encontrei ao acaso, em Poços de Caldas, na última quinta, quando fui ao oftalmologista:
 
 
 
 
 
 
 
 
 Não são lindas?
 
  Beijo&Carinho,
  
 Jussara